Como funcionam as lâmpadas de LED?
A luminosidade das lâmpadas incandescentes é diretamente ligada ao consumo de energia dela, ou seja, quanto maior a potência, watt (W), dela maior sua luminosidade.
Porém o LED trouxe um novo conceito, o fluxo luminoso, ou lúmen (Lm). Ela é a unidade de medida de luz emitida por uma determinada lâmpada, independentemente da potência dela.
Isso porque a luminosidade de um LED não é proporcional ao seu consumo de energia, representando uma significativa economia já que é possível se ter muito mais claridade com uma potência muito menor.

Como escolher uma lâmpada de LED equivalente?
Como esclarecemos anteriormente, a menor potência não significa uma menor luminosidade, no caso das lâmpadas de LED é justamente o contrário. Elas são mais eficientes, assim, iluminam mais, consumindo muito menos.
Então para escolher uma lâmpada de LED equivalente da maneira correta você precisa converter o fluxo luminoso (lm) em Watt (W). Por exemplo:
⦁ 600 lm = lâmpada LED de 6 W = incandescente de 40 W = fluorescente de 12 W;
⦁ 1018 lm = lâmpada LED de 10 W = incandescente de 68 W = fluorescente de 20 W;
⦁ 1311 lm = lâmpada LED de 12 W = incandescente de 87 W = fluorescente de 26 W.

Para facilitar criamos uma tabela. Veja só:

Como calcular a luminosidade ideal para cada ambiente?
Para acertar na luminosidade de cada cômodo, utilizaremos uma outra unidade de medida: o lux. Ele traduz a quantidade de fluxo luminoso por metro quadrado do ambiente. Ou seja, para calcular o lux de cada cômodo da sua casa basta dividir o fluxo luminoso total do ambiente pelo tamanho dele em metros quadrados.
⦁ Lux = lm (lúmens)/ m²
As recomendações em lux para os principais cômodos de uma casa ou apartamento são:
⦁ Sala de estar: entre 50 a 100 lux;
⦁ Dormitórios: 50 lux;
⦁ Cozinha: entre 300 a 500 lux;
⦁ Escritório: 300 a 500 lux;
⦁ Garagem: 50 lux.

Gostou das dicas e agora não sabe onde comprar? Dá uma olhadinha aqui!